Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Ocultismo’ Category

O Monstro

Via mentirinhas

 

Read Full Post »

Por Dionísio Benu
Via Projeto Mayhem.

Não sei a intenção do autor ao escrever a música abaixo, mas realmente, me remeteu ao Liber 333 de Crowley: “Enquanto caminham, eles derramam água; um dia eles irrigarão o deserto, até que floresça”. Claro, não dá para dissociar nada disso da Kabballah, de onde Crowley também “bebeu” para escrever esse Liber. Mesmo que a intenção do autor não tenha nada a ver com os comentários que fiz, vale a pena “abstrair” e ver pela óptica dos comentários “viajados”. Ir até Yesod, de vez em quando, não faz mal a ninguém. Abaixo segue a letra, meus comentários sobre as estrofes ou versos e um link para ouví-la.

Sob o Sol
Sobre as nossas cabeças o sol (O sol, na Kaballah se relaciona à sefiroth Tifereth, que é a esfera do Filho. Personalidades e mitos relacionados à energia atribuída a essa esfera de consciência são: Jesus, Krishna, Apolo, Mitra, Dionísio, etc. É altamente relacionada ao chakra cardíaco e ao amor universal).
Sobre as nossas cabeças a luz (A luz é o símbolo máximo de Kether, ou a Coroa, nível de consciência  na qual o ser encontra-se no mesmo nível da consciência divina manifestada, da centelha divina presente em cada indivíduo. É o maior nível de consciência da Árvore da Vida cabalística. Depois de Kether só há o Absoluto, o Imutável, etc).
Sob as nossas mãos a criação (A principal característica divina é o poder de criar e essa dádiva é uma das mais exaltadas no espírito humano).
Sobre tudo que mais for do coração
Luz da fé que guia os fiéis
Pelo deserto sem água e sem pão
Faz de pedras um rio brotar
Faz do céu chover forte o maná (Em se falando de Kaballah, está implícito que ao atingir uma determinada esfera de consciência, a pessoa passa a ter as percepções e aptidões inatas a ela. Nada mais comum do que falar de milagres bíblicos, afinal, a Kaballah tem sua origem no judaísmo. Claro que muitos outros beberam da mesma fonte: babilônios, hindus, gnósticos e ocultistas em geral. Como um diagrama, ela é perfeitamente adaptável às culturas e pensamentos, mas mantém uma base de correlação muito forte).
Quebra o vaso de barro do teu coração (A chave da elevação da consciênca para além de Tifereth está implícita no sacrifício do homem entregando seu ego inferior ou seu eu inferior ao seu Eu Superior. Por isso se diz que em Tifereth há morte e ressurreição. O sacrifício de Jesus no cristianismo é o ápice da consciência que atinge Tifereth e ascende após a experiência. O amor é derramado, o Sagrado Coração transborda, como o Graal, para redimir o Reino, representado na Kaballah por Malkuth, a esfera das manifestações físicas).
Com o melhor vinho do teu amor (o vinho é o símbolo máximo do sangue divino, seja no cristianismo ou em religiões pagãs. No culto a Dionísio, por exemplo, se comia da carne do animal sacrificado, que simbolizava o deus, e bebia-se vinho, o sangue de Dionísio, com a finalidade de que o deus e seus seguidores vivessem em comunhão. Algo similar acontece na Eucaristia Católica e Gnóstica, usando-se pão e vinho).
Pois quer a lei que ele se perca no chão
E floresça o deserto ao seus pés
Regando as areias, recriando regatos e as luzes do Éden das flores (Malkuth, o Reino Material, pode ser visto sob muitos aspectos. Depois de uma série de filmes famosos, passou a ser vista como “Matrix”, mas também é vista como um deserto. Sua distância de Kether, ou seja da essência divina presa na concha material, cria a Vontade de elevação, ou retorno à fonte. Regar as areias, é trazer ao material o que é divino, vivificando a matéria e recriando as flores, que são a própria vida, além do mecanicismo animal dessa esfera que é: comer, dormir, ter prazer, trabalhar para ter o que comer, se cansar, dormir e ter mais um bocado de prazer sensorial…).
Na terra dos homens, no circo dos anjos, guardiões implacáveis do céu
Dançamos a dança da vida no palco do tempo, teatro de Deus (a vida, artisticamente falando é tanto uma dança, como um teatro,  sempre em movimento).
Árvore santa dos sonhos, os frutos da mente são meus e são teus ( A Árvore Santa é a Árvore da Vida, um diagrama simbólico das energias do universo, bem como dos níveis de consciência humanos. Os frutos são as esferas de consciência).
Nossos segredos guardados enfim revelados nus sob o sol
Segredos de Deus tão guardados
Enfim revelados nus sob o sol ( A Árvore da Vida representa simbolicamente os segredos da criação, logo os segredos de Deus e do homem. Conhecer a Árvore, vivenciar seus níveis de consciência, é uma peregrinação de ascenção até chegar ao nível de consciência do Criador. Durante a subida, a consciência se expande, captando os segredos da criação, que ficam então, como nus sob nossos olhos).

Read Full Post »

93

Muita gente me pergunta o que diabos significa o “93” que algumas pessoas envolvidas com Ocultismo escrevem depois de um texto ou em qualquer lugar. Para facilitar a explicação estou copiando criando este post para uma resposta mais prática. La vai:

Noventa e três
É o valor Gemátrico da palavra grega Θελημα (Thelema), que significa Vontade e também de Aγαπη (Agape), que significa Amor.

Uso do “93” como saudação
Thelemitas costumam cumprimentar-se com “Faz o que tu queres há de ser tudo da Lei“, e despedir-se com “Amor é a lei, amor sob vontade“. Segundo o Livro da Lei, “A palavra da Lei é Thelema“, portanto podemos abreviar a frase para 93.

Então:

93! (Thelema = “Faz o que tu queres há de ser tudo da Lei”)

93,93/93 (Lei,Thelema/Agape – onde o 93 inicial simbolizaria Agape=Lei, ou amor é a lei, e a segunda parte Agape sob (i.e. abaixo de) vontade, ou “amor sob vontade”)

Operação Guemátrica

Θελημα (Thelema):

Θ (Theta) – 9
ε (Epsilon) — 5
λ (Lambda) — 30
η (Eta) — 8
μ (Mu) — 40
α (Alfa) — 1

9+5+30+8+40+1 = 93

 Aγαπη (Agape):

A (Alfa) — 1
γ (Gama) — 3
α (Alfa) — 1
π (Pi) — 80
η (Eta) — 8

1+3+1+80+8 = 93

Khabs am Pekht: a Instrução
“Todos aqueles que aceitaram a Lei deveriam proclamar o mesmo no trato diário. “Faze o que tu queres há o ser o todo da Lei” deve ser a forma invariável de saudação. Estas palavras, especialmente, no caso de estranhos, devem ser pronunciadas em voz clara, firme e articulada, com os olhos francamente fixos no portador. Se o outro for dos nossos, deixe-o replicar “Amor é a lei , amor sob vontade” A última sentença também deve ser usada como a saudação de despedida. Ao escrever, sempre que a saudação seja usual, deveria ser como acima: aberta “Faze o que tu queres há de ser o todo da Lei” e fechada “Amor é a lei, amor sob vontade” .”

(Aleister Crowley)

Fonte: Ocultura

Read Full Post »

“O período neolítico não conhecia deuses – vigorava o matriarcado, com a Deusa-Mãe. O conceito de paterno inexistia e a moral, a ciência e a religião ocupavam a mesma esfera. Com a instituição do patriarcado, o cálice foi derramado através da espada, relegando o elemento feminino. Com o fim da era de Peixes, tipicamente masculina, o reinado feminino retorna em Aquário para resgatar Sofia, o arquétipo da Sabedoria. Assim como o Taoísmo primitivo, todas as religiões ancestrais visualizavam o Universo como uma generosa Mãe. Nada mais natural: não é do ventre delas que saímos? De acordo com o mito universal da Criação, tudo teria saído dela. Entre os egípcios, era chamada de Nuit, a Noite. “Eu sou o que é, o que será e o que foi.” Para os gregos era Gaia – Mãe de tudo, inclusive de Urano, o Céu. Entretanto, ela não era apenas fonte de vida, como também senhora da morte. O culto a Grande- Mãe era a religião mais difundida nas sociedades primitivas. Descobertas arqueológicas realizadas em sítios neolíticos testificam a existência de uma sociedade agrícola pré-histórica bastante avançada, na região da Europa e Oriente Médio, onde homens e mulheres viviam em harmonia e o culto à Deusa era a religião. Não há evidências de armas ou estruturas defensivas, onde se conclui que esta era uma sociedade pacífica. Também não há representações, em sua arte, de guerreiros matando-se uns aos outros, mas pinturas representando a natureza e uma grande quantidade de esculturas representando o corpo feminino. Essas esculturas também foram encontradas em Creta, datadas de 2.000 a.C. Na sociedade cretense as mulheres exerciam as mais diversas profissões, sendo desde sacerdotisas até chefes de navio. Platão conta que nesta sociedade, a última matrifocal de que se tem notícia, toda a vida era permeada por uma ardente fé na natureza, fonte de toda a criação e harmonia. Segundo historiadores, a passagem para o patriarcado deu-se em várias esferas. Na velha Europa, a sociedade que cultuava a Deusa foi vítima do ataque de poderosos guerreiros orientais – os kurgans. O Cálice foi derrubado pelo poder da Espada. Outro fator decisivo para tal transformação foi o crescimento da população, que levou as sociedades arcaicas à “domesticação da terra”. Os homens tinham que dominar a natureza, para obrigá-la a produzir o que queriam. Com a descoberta de que o sêmen do homem é que fecunda a mulher (acreditava-se que esta gerasse filhos sozinha), estabeleceu-se o culto ao falo, sendo este difundido pela Europa, Egito, Grécia e Ásia, atingindo o seu ápice na Índia. Com o advento do monoteísmo, e patriarcado – e a conseqüente dominação da mulher -o culto ao falo estabeleceu-se em definitivo. “O monoteísmo não é apenas uma religião, é uma relação de poder. A crença numa única divindade cria uma hierarquia – de um Deus acima dos outros, do mais forte sobre o mais fraco, do crente sobre o não-crente.”

Jeová, Deus dos Hebreus, em cujos mandamentos assentam-se as raízes da nossa civilização judaico-cristã – é o melhor exemplo do Deus patriarcal. Ele é um Deus patriarcal. Ele é um Deus guerreiro, que esmaga os inimigos do seu povo eleito com toda a sua força poderosa, esperando em troca fidelidade e obediência aos seus mandamentos. Ele trabalha com o medo. O mito de Lilith mostra bem essa passagem do matriarcado para o patriarcado. Recusando-se a submeter-se à Adão, tentava igualdade com ele. “Por que devo deitar-me sob ti?” -ela questiona, e é punida por Jeová, que envia um anjo para expulsá-la do Paraíso. Blasfemando e criando asas, numa demonstração de liberdade, Lilith abandona o Paraíso e voa para o Mar Vermelho, onde dá início a uma dinastia de demônios. Mas Adão fica, e sente-se só. Jeová então cria Eva, a mulher, condenada eternamente à inferioridade. Como enunciava Santo Agostinho, a mulher não era a imagem de Deus – apenas o homem era. Ela era, no máximo, a imagem de uma costela. Embora a personagem do Deus cristão seja bem mais suave do que seu antecessor – o Deus de Jesus é piedoso e compreensivo, enquanto Jeová distribui medo e castigos, na opinião de muitos a totalidade feminina encontra-se cindida na mitologia cristã: maternidade e sexualidade. A Virgem e Maria Madalena. Nos Evangelhos Apócrifos, Madalena é tida como líder ativa no discipulado de Cristo. O Evangelho de Felipe realça a união do homem e da mulher como símbolo de cura e paz, e estende-se ao relacionamento de Cristo e Madalena, a companheira do Salvador. Contrapondo-se à figura de Madalena, a Virgem está associada apenas ao lado maternal do feminino, estático e protetor.

Sempre retratada através da Virgem, de Madalena, Hera, Ísis, Deméter, Atena, Diana, a Lua,a Natureza, Hécate, Afrodite, Lilith e tantas outras, a figura da Deusa vem ressurgindo, cada vez mais e com mais força…”

(Claudiney Prieto – Wicca, a Religiao Da Deusa)

Read Full Post »

Sempre penso sobre as catástrofes e tragédias que andam acontecendo e se existem culpados por elas. Já notaram que é muito mais fácil colocar a culpa em alguém do que assumir que aquilo tinha que acontecer para o Todo continuar em sua Trilha?

Se existe Destino, o Acaso é uma grande desculpa para qualquer coisa que não encontramos explicações e a Escolha é mera Ilusão. A morte normalmente é vista como um grande Mal, mas é de extrema necessidade para o Ciclo, que na realidade, é Bom e Belo.

-A Escolha é uma Ilusão?
Se acreditarmos em Destino, sim! Não existe Escolha e qualquer tipo de decisão que tomamos faz parte de uma linha de segmentos preestabelecidos e que não podem ser alterados, ou seja, Destino.
Você deve pensar que pode driblar esse Destino e escolher outro Caminho tentando fazer uma surpresa para O Escritor, Mas com certeza foi Ele quem decidiu que você iria mudar seu rumo.

Vamos relembrar textos do tio Crowley:
“No Corpo, toda Célula é subordinada ao Controle fisiológico geral, e nós que queremos aquele Controle não indagamos se cada Unidade individual daquela Estrutura é conscientemente feliz. Mas nós cuidamos que cada uma execute sua Função, e o Fracasso de mesmo umas poucas Células, ou sua Revolta, pode envolver a Morte do Organismo inteiro. Entretanto, mesmo aqui a Queixa de uns poucos, que nós chamamos Dor, é um Aviso de Perigo geral. Muitas células cumprem seu Destino por Morte Rápida, e tal sendo a sua Função, elas de maneira alguma ressentem isto. Se a Hemoglobina resistisse ao Ataque do Oxigênio, o corpo pereceria, e nem por isto a Hemoglobina se salvaria. Agora então considera a Fundo estas Coisas em tua Organização do Mundo sob a Lei da Vontade. Pois todo indivíduo no Estado deve ser perfeito em sua Função, com Contentamento, respeitando sua Tarefa particular como santa e necessária, sem cobiçar a de outro. Pois apenas assim tu podes construir um Estado Livre, cuja Vontade dirigente estará voltada unicamente ao Bem-Estar de todos.”

“… mesmo a Vontade para a Grande Obra pode ser mal compreendida pelos Homens, pois esta Obra deve proceder naturalmente e sem Esforço, como todos os Trabalhos verdadeiros. Também é certa aquela Palavra que o Reino dos Céus sofre Violência, e que os violentos o tomam pela Força. Mas a não ser que sejas violento em Virtude de tua verdadeira Natureza, como o tomarás tu? Não sejas como o Asno na Pele de Leão; mas se tu nasceste Asno, carrega pacientemente tuas Cargas, e saboreia teus Espinheiros; pois também um Asno, como nas Fábulas de Apuleius e de Matthias, pode chegar à glória pelo Caminho de sua própria Virtude.”

Portanto, se é para ser assim, assim será. A não aceitação causará tumores, mas tais tumores serão predestinados igualmente a não aceitação.

Complicado tudo isso não? Deixa fluir!
CARPE DIEM

Read Full Post »

Anos atrás conheci este filme com cara de documentário e fiquei muito surpreso com seu conteúdo, já tinha até me esquecido dele quando sem querer o encontrei novamente enquanto procurava algo para ver no final de semana, então fiz o download e assisti de novo. “Quem somos nós?” é tão impressionante e cheio de Conhecimentos que todos deveriam assistir. Se não puder alugar, faça o download AQUI.

Mensagem Subliminar: Você vai entrar no blog todos os dias!

Sinopse:
Amanda (Marlee Matlin) está numa fantástica experiência ao estilo “Alice no País das Maravilhas” enquanto seu monótono cotidiano começa a se desmanchar. Esta situação revela o incerto mundo escondido por trás daquilo que se costuma considerar realidade. Amanda mergulha num turbilhão de ocorrências caóticas que revelam um profundo e oculto conhecimento do real. Ela entra em crise e questiona o sentido da existência humana

Clique AQUI para fazer o Download. (ou lá em cima, também funciona).
O arquivo tem 430.85 MB e o filme é dublado no formato DivX hospedado no MegaUpload.

Read Full Post »

“Ahhh muleque, desliga essa TV que você não vai aprender nada com desenho animado!”

Depois dos quadrinhos de Mauricio de Souza sobre Malkut e do episódio de Avatar sobre os Chakras não se esperava menos de Walt Disney (Ocultista e Maçon) com este episódio do Pato Donald.

Read Full Post »

Older Posts »